Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Torre de Babel

Torre de Babel

Américo Vespúcio e a exploração do Brasil

Américo Vespúcio (1454-1512) foi imortalizado ao darem o seu nome à América, mas pouco se sabe ao certo sobre as suas viagens. Nunca comandou expedições e até certo número delas é discutível.

 

vespucci.jpg

 

Sabemos ao certo que era um italiano de Florença, banqueiro, da família dos Médicis, que tal como o seu compatriota, Cristóvão Colombo, serviu os Portugueses e os Espanhóis.

 

Na última metade do século XV, Portugal e Espanha eram uma atração para aventureiros que esperavam fazer fortuna com o comércio com o Oriente. Vespúcio conta nas suas cartas que navegou de Cádis, em 1497, «em direção ao Grande Golfo do Oceano Mar». Pode ter sido sob o comando de Hojeda, numa expedição castelhana, que provavelmente desembarcou no Rio Grande do Norte. Consta também que alcançou as Honduras e a costa mexicana é que trouxe consigo duzentos e vinte e dois escravos.

 

Na sua segunda viagem, quando o rei D. Manuel de Portugal mandou três caravelas explorar o Brasil, ele explorou o rio Amazonas. Parece ter também explorado a costa brasileira de 8º sul a 32º sul até ter de regressar devido ao frio e ao mau tempo. Vespúcio relata que não encontraram nada de grande valor a não ser «árvores de madeira corante, cássia, a árvore de que se faz negrol e outras maravilhas que não podem ser descritas». O seu objetivo era, obviamente, navegar tão para sul quanto possível.

 

Em janeiro de 1502, na terceira expedição, descobriu a baía a que chamou Rio de Janeiro. Em 1503, foi construído um forte a sul do Brasil e era exportada madeira corante para Portugal. Descobriu também o Porto de São Julião, uns vinte anos antes de Fernão de Magalhães, que seria por duas vezes diferentes o local de derramamento de sangue e castigo de um motim. Se Vespúcio tivesse navegado 2º mais para sul teria chegado ao que é hoje chamado estreito de Magalhães.

 

Como julgava ter tocado na costa extrema da Ásia, referiu-se a ela como o Mundus Novus, o Novo Mundo, e quando se espalhou pela Europa a ideia de que havia sido descoberto um novo continente, foi sugerido que se chamasse América e o nome apareceu num mapa, em 1507. Se Colombo tivesse usado a palavra novus (novo) em vez de otro mundo (outro mundo) como usou, talvez tivesse tido a honra de ver o seu nome dado ao continente!

 

Embora Américo Vespúcio fizesse as suas viagens por Portugal, voltou a Espanha e ali deve ter influenciado a cartografia e a exploração da época.