Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Torre de Babel

Torre de Babel

As expedições científicas de Alexander von Humboldt

Alexander von Humboldt (1769-1859) é mais conhecido por suas descobertas científicas: identificou a causa do mal das montanhas e calculou o efeito da altitude na temperatura. Estas descobertas não foram feitas em nenhum laboratório e o caminho que o levou até elas foi fascinante e perigoso.

 

IMG_20170805_184433_317.JPG

 

Nascido em Berlim, no ano de 1769, filho dum major do Exército prussiano, Humboldt cedo mostrou interesse pela ciência e, aos vinte anos, descobriu que queria ser explorador. Com este objetivo estudou biologia, geologia, astronomia, botânica e línguas.

 

Em 1797, depois de passar alguns anos a trabalhar para o Governo prussiano nos serviços mineiros, tentou reunir uma expedição organizada, mas devido às guerras napoleónicas não conseguiu. Abordou então o Governo espanhol e obteve autorização para visitar as colónias espanholas da América Central e do Sul à sua própria custa.

 

Com o botânico francês Aimé Bonpland, passou mais de cinco anos, de 1799 a 1804, percorrendo mais de nove mil e seiscentos quilómetros nas colónias, a pé, de canoa e a cavalo.

 

Viajaram por planícies poeirentas e navegaram pelo rio Orinoco à procura de uma ligação entre o Orinoco e o Amazonas. Subiram o rio Negro, o magnífico afluente do Amazonas, onde a mil novecentos e vinte quilómetros para o interior viram golfinhos de água doce. Encontraram a ligação entre o Orinoco e o rio Negro e durante a viagem recolheram mais de doze mil espécies botânicas.

 

Abriram caminho pela densa floresta tropical, com calor húmido, atormentados pelos mosquitos. As provisões escasseavam e alimentavam-se de sementes de cacau e água do rio. Os seus relatórios continham horríveis descrições da sua entrada em cabanas de índios onde viram repugnantes restos de refeições de carne humana.

 

Outra viagem levou-os aos Andes e viajaram pelo que é hoje a autoestrada pan-americana, pelas abruptas veredas rochosas e subiram aos vulcões Quito, Equador e Chimborazo. Sofreram os dois do mal das montanhas e Humboldt apercebeu-se de que era devido à falta de oxigénio, uma importante descoberta que ajudaria outros exploradores de montanhas, dali em diante. Calculou também que a temperatura descia um grau Farenheit por cada trezentos metros de altura.

 

Entre outras investigações científicas estudou as correntes da costa oeste da América e a corrente Humboldt tem o seu nome.

 

De 1804 a 1827, Alexander von Humboldt viveu em Paris publicando as suas descobertas e conhecendo cientistas. Voltou depois para Berlim cansado e pobre, onde se tornou preceptor do príncipe herdeiro da coroa alemã. Humboldt ajudou a tornar a ciência mais compreensível e interessante para o homem vulgar e publicou por fim a sua obra Kosmos. Morreu aos noventa anos.