Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Torre de Babel

Torre de Babel

História de Macedo de Cavaleiros

Enquadrado a norte pela serra de Nogueira e a sul pela serra de Bornes, o concelho de Macedo de Cavaleiros faz parte da região de Trás-os-Montes e Alto Douro e confina com os municípios de Vinhais, Bragança, Alfândega da Fé, Mogadouro e Mirandela. A população vive sobretudo da agricultura e de alguma indústria, mas o turismo, aproveitando as belas paisagens naturais, a pesca, a caça e os desportos radicais, é hoje uma das grandes apostas do município.

 

Macedo-de-Cavaleiros-4.jpg

 

A sua situação geográfica levou-o, ao longo dos tempos, a um certo isolamento. No entanto, sabe-se que o povoamento primitivo do território concelhio é bastante remoto, pois foram encontrados vestígios que comprovam a presença humana no período Neolítico.

 

A povoação de Macedo de Cavaleiros já existia no século XII e pertencia, na altura, à Terra de Lampaças, chamando-se então Masaedo ou Maçaeda. No entanto, pelo foral de 1187, D. Sancho I fez da cidade de Bragança a sede de um vasto território que englobava os termos de Lampaças. Deste modo, ao concelho de Bragança passaram a pertencer todas as povoações do atual município de Macedo de Cavaleiros que faziam parte da extinta Terra de Lampaças. O monarca impôs ainda a Bragança o povoamento dos "vilares veteros" do concelho, entre os quais Vilares, Valdrês, Limãos e Vale de Prados.

 

Segundo as Inquirições de 1258, de D. Afonso III, Macedo de Cavaleiros pertencia então a um cavaleiro de Chacim, D. Nuno Martins, da estirpe dos Bragançãos, e também a um outro, D. Mendes Gonçalves. Segundo alguns genealogistas, terão sido estes dois cavaleiros a dar origem ao topónimo Cavaleiros. Nesta época, o lugar não seria mais do que uma pequena povoação e não tinha a importância administrativa de localidades vizinhas, como Nozelos, Vale Prados, Cortiços, Sezulfe e Pinhovelo, as quais, durante o reinado de D. Dinis, receberam cartas de foral.

 

A partir do século XIV, Masaedo surge designado por Macedo dos Cavaleiros, nome provavelmente relacionado com a família dos Macedos, que foi também donatária desta terra. Em 1484, D. João II concedeu a João Teixeira de Macedo uma série de privilégios relacionados com a quinta de Macedo.

 

Na primeira metade do século XVIII, quando Macedo de Cavaleiros ainda pertencia ao concelho de Chacim, D. João V passou carta de reguengueiro aos "moradores da Quinta de Macedo de Cavaleiros". A carta isentou os habitantes de determinados impostos e fez com que a povoação se desenvolvesse.

 

Na divisão administrativa do país de 1853, Macedo dos Cavaleiros foi instituído como julgado e concelho, suprimindo os antigos concelhos de Chacim e Cortiços. Um erro gráfico deu forma definitiva ao nome Macedo de Cavaleiros, cuja sede foi elevada à categoria de cidade em 1999.